Valorize o que Deus te dá

O amor não pratica o mal contra o próximo.

Romanos 10:13

Vocês conhecem alguma criança que vive querendo aquilo que não é dela?

Entre irmãos, então, isso acontece aos montes! Fala aí se não é assim na sua casa? 

Mas, não precisa ser desse jeito! Podemos ser alegres com o que temos, pois Deus sempre nos dá o seu melhor! O projeto de Deus para nossa família é de uma casa cheinha de amor e bondade, e não de confusão.

Na história que vamos conhecer, dois irmãos não se entendiam bem, e depois que começaram a fazer as coisas do seu próprio jeito, sem consultar a Deus, tudo foi ficando cada dia pior. 

Porém, Deus é tão bom que deu uma nova chance a eles. Vem para a história!

Esaú e Jacó demoraram a valorizar o que Deus deu a eles

Referência bíblica: Gênesis 25

A bíblia conta a história de um casal chamado Isaque e Rebeca que amava muito a Deus.

Um dia, Isaque pediu a Deus um filho, e Deus o abençoou não apenas com um filho, mas com dois filhos gêmeos! Isso mesmo! Rebeca, sua esposa, teve dois meninos ao mesmo tempo, que receberam os nomes de Esaú e Jacó!

Esaú nasceu primeiro e, poucos minutos depois, veio Jacó agarradinho nos pés do irmão!

Os pais ficaram muito felizes e as crianças cresciam!

Assim que os gêmeos se tornaram adultos, Esaú se tornou um caçador forte e habilidoso, enquanto Jacó se tornou um homem tranquilo, que cuidava do rebanho, gostava de cozinhar e de ajudar a sua mãe.

Eram gêmeos, mas quem disse que precisavam ser iguais em tudo? E não eram mesmo!

Só que, um dia, Jacó começou a sentir ciúmes do irmão, porque naquela época o primeiro a nascer recebia uma herança chamada primogenitura, e isso virou um problema entre os irmãos.

Xiii, mas o que é primogenitura? Vamos explicar: Esaú, por ter nascido primeiro,  tinha o direito de liderança e de chefia da família quando seu pai morresse. Após a morte do seu pai, Esaú herdaria a maior parte dos bens e se tornaria o responsável pela casa. 

O tempo foi passando e os dois irmãos começaram a brigar muito. Eles não concordavam em quase nada. E isso não foi bom mesmo! 

Jacó queria a bênção da primogenitura do irmão de qualquer jeito e, assim, resolveu, junto com sua mãe, dar um jeitinho de conseguir.

Teve um dia que Esaú foi caçar e demorou muito para voltar. Enquanto isso, Jacó estava em casa e havia feito uma sopa bem gostosa. Seu irmão chegou cheio de fome e quis logo comer a sopa. 

— Jacó, meu irmão, estou morrendo de fome! Me dá um pouco dessa comida? – Pediu Esaú. 

E você acha que Jacó dividiu a comida com o irmão? Que nada! Jacó já estava tramando uma forma de conseguir a primogenitura do irmão. E sabe o que ele fez?

Jacó respondeu que daria a comida, mas só se Esaú desse a Jacó o direito de ser o primeiro filho. Com isso, ele receberia aquela herança especial reservada para os primogênitos.

A fome de Esaú era tão grande que ele não deu muita importância a essa proposta e aceitou. Comeu seu prato de sopa feliz e satisfeito. 

Os dias foram passando e Isaque, pai dos irmãos gêmeos, foi ficando velhinho. Além disso, passou a ter muitas dificuldades para enxergar.

Um dia, Isaque pediu que Esaú caçasse e preparasse uma deliciosa comida para ele para, logo depois, o abençoar.

Esaú saiu correndo para fazer isso e nem lembrou que tinha vendido a bênção da primogenitura para Jacó por um prato de sopa. 

Rebeca, a mãe, quando ficou sabendo que Esaú ia caçar, decidiu ajudar Jacó num plano de enganar Isaque. Já que ele não enxergava direito, ela achou que seria fácil Jacó se passar por Esaú e, assim, receber a bênção do pai antes que ele morresse.

Que feio! Você acha que Deus gostou disso? Não mesmo!

Plano em ação e Isaque abençoou, por engano, Jacó no lugar de Esaú.

Quando Esaú chegou e descobriu o que tinha acontecido, ficou muito furioso! Jacó teve que fugir de casa de tanta raiva que Esaú ficou. Por causa disso, durante muitos anos, os irmãos ficaram brigados e longe um do outro.

Jacó sofreu muito longe de todos – tudo porque ele quis se dar bem enganando seu pai e irmão. Nada que é conquistado com mentiras é duradouro, não é? 

Até que um dia, Deus apareceu para Jacó e prometeu abençoá-lo, desde que ele corrigisse tudo que havia feito de errado com sua família. 

Mesmo com muito medo do que seu irmão pudesse fazer, Jacó decidiu obedecer. Naquela época, nem dava para passar um WhatsApp ou ligar para o irmão para saber se ele aceitava o pedido de perdão, não é mesmo? O jeito foi arriscar!

Ahhh, Deus é tão bom que ajudou Jacó na difícil missão de encontrar o irmão. E, a partir dali, Esaú mudou seu coração e ele passou a não mais sentir raiva do irmão.  

Os dois se encontraram, se abraçaram muito e choraram também! Dessa forma, voltaram a ser uma família unida e feliz novamente.

O que podemos aprender com a história de Esaú e Jacó?

Você conhece irmãos que passam grande parte do tempo brigando e competindo? Não precisa disto, não é mesmo? Não deixe que nenhum sentimento ruim tome conta do seu coração. Ame sempre a sua família!

Dê muito valor a tudo que você tem e cuide com muito amor. Não importa se você tem tudo que gostaria ou não. Você sempre terá motivos para ser grato.

E sempre se lembre: não vale a pena “dar um jeitinho” para ter o que queremos. 

Deus sabe do que a gente precisa, então, não precisamos mentir e nem enganar. Temos só que confiar, porque Deus cuida da gente!

Vamos orar?

Senhor Jesus, eu não quero ser mentiroso, porque eu sei que você ama a verdade. Eu quero amar a minha família e os meus amigos e sempre fazer o melhor para eles. Amém! 

Este devocional é uma das ações do ministério infantil da Academia da Fé

Texto: Ana Paula Meneguci – Ilustração: Jociane Cavalli @jocianecavalli.art

Deixe um comentário