Jesus: o Príncipe da paz

Deixo a paz a vocês; a minha paz dou a vocês. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbe o seu coração, nem tenham medo.

João 14:27

Você tem paz? Se alguém te perguntasse o que é paz, o que você responderia? Talvez seria ficar em silêncio; cantar; tomar um banho quentinho; fazer uma refeição em família ou não ter problemas… 

Tudo isso é muito bom, mas, logo acaba. Na história, iremos descobrir, de uma maneira surpreendente, como Mig encontrou a verdadeira paz, mesmo quando tudo não parecia estar bem em sua volta.

Mig tomou posse da verdadeira paz

Referência bíblica: João 14:27, Isaías 9:6, Marcos 4:35-41 e Gálatas 5:22

Era uma tarde de descanso e Mig não queria pensar em nada. Ora ouvindo o som da água batendo nas pedras à beira do ribeirão, ora escutando o som do vento batendo nas folhas das árvores, o menino só queria relaxar. O silêncio para ele era a mesma coisa que ter paz.

Naquele fim de semana, Mig tinha saído para acampar com seus pais. O lugar era lindo, com muito verde e espaço para brincar, mas Mig queria mesmo era ficar quietinho, ouvindo os sons da natureza. 

Tudo corria às mil maravilhas, até que uma família bem barulhenta, composta por pai, mãe e três filhos, levantou acampamento ao lado da família de Mig. 

Deitado na grama, o menino descansava ouvindo o canto dos pássaros quando, de repente, a turminha do barulho passou por ele com uma caixa de som ligada nas alturas.

— Tum, tum, tum, tum. — a música não parava. E estava bem alta!

— Mas o que é isso? Será que é impossível ter paz nessa vida? Mig disse assustado.

Após se recuperar do susto, ele procurou um lugar mais afastado para tentar continuar curtindo o seu silêncio, mas os três irmãos, que não paravam de gritar e correr enquanto seguravam espadas feitas com jornal, foram até onde Mig estava. Aquelas crianças estavam brincando de defender a família real do ataque inimigo.

Mig já estava andando na direção contrária dos três irmãos, para tentar, mais uma vez, se afastar deles, quando percebeu que tudo aquilo que estava acontecendo era bastante familiar. Nesse momento, Mig se lembrou que ele, sim, pertencia à verdadeira família real: a família de Deus! E, em seguida, começou a chamar pelo Príncipe da Paz:

— Príncipe da Paz, Jesus, meu amado, por favor, me ajude a entender o que eu devo fazer nessa situação.

Como num piscar de olhos, os pensamentos de Mig foram invadidos por uma claridade e o menino se lembrou da história bíblica de quando Jesus estava dormindo num barco em meio a uma tempestade. Naquela ocasião, os discípulos estavam muito agitados e preocupados, pois, a qualquer momento, o barco poderia afundar com todos a bordo. Foi quando acordaram Jesus, que com bastante calma se levantou e ordenou que os ventos parassem. Quando ele fez isso, a tempestade parou e tudo terminou bem. 

Nesse momento, Mig se tranquilizou. Foi como se uma onda doce e suave tivesse lavado tudo de ruim que estava em sua mente. Nada do que ele fez antes se comparava a essa paz. Era o Espírito Santo trabalhando.

Na mesma hora, o menino soube o que devia fazer e declarou que nada iria roubar a sua paz, pois ela já estava ali, o tempo todo, em seu coração. 

Como na história em que Jesus acalma a tempestade, vemos que ele não estava desesperado nem nervoso, ao contrário, tinha paz. Ele era a paz.

Jesus nos deixou a verdadeira paz. É como um presente que ele já nos deu! Como está escrito na bíblia, Jesus deixou a paz que ele possuía para todos nós. Basta tomarmos posse dela. E não é a paz que o mundo dá, que passa rapidinho, mas a verdadeira paz, que dura para sempre! 

Após subir aos céus, Jesus nos deixou como conselheiro o Espírito Santo, que, quando está no controle da nossa vida, produz em nós uma espécie de fruto com muitas qualidades e, uma delas é a paz.

Abastecido da palavra de Deus e produzindo o fruto do espírito, Mig transbordou a verdadeira paz. Ele parou de fugir daquelas crianças e convidou os três irmãos para uma atividade um pouco diferente das que eles estavam acostumados: tratava-se de uma pescaria! 

Havia um lago ali perto e, agindo com sabedoria, Mig foi esperto em sua escolha, pois como todos sabem, para uma boa pescaria é preciso certo silêncio e tranquilidade para não espantar os peixes.

Mesmo tendo a paz que é dada pelo Espírito Santo, cada pessoa tem o seu jeito, e Mig preferia mesmo brincadeiras mais calmas.

Assim, tudo acabou bem naquele fim de semana, na verdadeira paz. Todos juntos, em harmonia, num delicioso almoço preparado com os peixes que eles mesmo pescaram.

O que você aprendeu com a história de Mig?

Jesus não ficou desesperado durante a tempestade no barco. Ao contrário, agiu com muita calma. Ele é a fonte da paz. E essa paz está disponível para todos, pois como está escrito na bíblia, Jesus já nos deu essa paz maravilhosa.

A verdadeira paz é ter certeza que tudo ficará bem mesmo quando em volta tudo parece que vai dar errado, isso porque estamos fortes em Cristo! Essa é a nossa fé.

Faça como Mig e peça ajuda ao Espírito Santo para iluminar o seu coração e produzir o fruto do espírito. Pergunte, sempre, a Jesus o que você deve fazer em todas as situações até conseguir ver todas qualidades de Jesus nas suas atitudes. Assim, você viverá sempre bem e feliz..

Vamos orar?

Espírito Santo, ilumine os olhos do meu coração. Eu me entrego para que você esteja totalmente no comando da minha vida e produza em mim o fruto do espírito para que eu me pareça cada dia mais com Jesus. No doce nome de Jesus, amém!

Este devocional é uma das ações do ministério infantil da Academia da Fé

Texto: Paula López – Ilustração: Jociane Cavalli @jocianecavalli.art

Deixe um comentário